Antes de acabar

O que você aprendeu em 2017?

Rendi-me ao espírito de virada de ano e resolvi fazer uma retrospectiva de 2017. Clichê? Com certeza. No entanto, não encontrei melhor maneira de me fazer acreditar que esse foi um período cheio de realizações, ganhos e envolvimentos intensos e verdadeiros.

Tem que ser de coração, pensava antes de iniciar qualquer tarefa. Dessa forma, tentei ser o mais verdadeira comigo mesma em tudo o que eu fazia.  E assim as novidades foram surgindo:

Senti o clima de meu apartamento ficar cada vez mais agradável.

Ao decidir abri-lo para hospedagem temporária, tive de aprender e praticar a hospitalidade. Um desafio que me fez enxergar a convivência de maneira distinta daquela que eu vivia até então. (Leia como foi o início do processo em Hóspede ou anfitrião? Qual é o seu papel?) Nota: acolhi meu primeiro hóspede em janeiro de 2017; até hoje, sempre que possível, eu o hospedo quando ele vem a São Paulo.

Imersa no silêncio, escutei o valor do som.

Certa tarde, concentrada num trabalho, ouço uma nota musical que vibrou por todo o apartamento. O som de um violão sendo dedilhado vinha de um dos quartos e, em vez de achar que o silêncio havia sido perturbado, senti uma serenidade acolhedora e curti a reverberação.

Na Mármaris, conheci um pouco mais de mim.

Apesar de ter nascido em final de 2016, foi em 2017 que o empreendimento – lançado para o mundo com a cumplicidade de minha irmã – começou a ganhar contorno, unindo costura, movimento, mobilidade e leveza.

À procura do Spiritus Mundi, conexões foram feitas.

Para isso, tive de ir muito além do que achava que era capaz e pedi ajuda de comparsas. Pessoas inquietas que também viam no projeto algum valor e, cada uma com sua habilidade – até de dar apoio moral –, colaborou para fincar as primeiras estruturas deste site. Não posso deixar de mencionar as cúmplices principais: Márcia e Giulliana. Nós três, misturando um pouco do sonho de cada uma, estamos aprendendo a nos expressar (na maneira e no tempo de cada uma). E com todo orgulho, acho que nosso projeto está lindo!

Habilidades ocultas se revelaram.

Enfrentei aquilo que era escondido e publiquei-me de diferentes formas: ao montar um site, posar para uma foto, escrever uma frase… Tudo é um pouco de mim. E nada foi à toa.

Nos exercícios físicos, descobri-me um pouco mais.

Descobri que gosto de correr acompanhada. Na caminhada, encontrei conversas internas. Em cima da bicicleta, ampliei meus horizontes.

Bicicleta: sempre um capítulo à parte.

Foi nela e com ela que os primeiros contornos da Mármaris se revelaram. Foi ela que me encorajou a concorrer por uma oportunidade para aprender mecânica de bicicleta. (E ganhei! obrigada, Bike 123!) É ela que me faz encarar os bloqueios e, justamente por isso, vivo discutindo relação com ela. Justo ela, que não tem nada a ver com meus receios e, além disso, me dá a potência para ir ainda mais longe.

Também descobri que:
  • Gosto de estar sozinha, mas também adoro companhia.
  • Fico fascinada com uma boa conversa e olhares sinceros.
  • Cozinhar é uma terapia, um cuidado e uma expressão de amor.
  • Dar a mão é uma forma de doar-se.

Pronta para 2018?

Ops! Iniciei o texto pensando que listaria minhas conquistas mais práticas, porém, pelo visto o maior ganho de 2017 foi algo muito maior: aprender a me relacionar. É isso que venho tentando aprimorar: melhorar o relacionamento comigo mesma e com os outros.

Sei que a busca não se esgota com o final do ano. Ao contrário, a prática deverá ser ampliada, pois o grande desafio talvez não seja apenas fazer algo ou relacionar-se com os outros, mas fazê-lo com toda a minha sinceridade. De coração.

Então, que em 2018 eu possa continuar a busca pela alma do mundo. A começar pela minha própria alma, aquela que me faz ser verdadeira. Que no próximo ano, eu consiga fortalecer laços, aprofundar ainda mais minhas estruturas e, quem sabe, esgotar minhas DRs com minha bicicleta.

Que assim seja!

Um ótimo ano para todos nós.

Que os amigos do SPIRITUS MUNDI aumentem mais e mais. (Crédito: Filip Bunkens/iStockphoto.)

Textos relacionados

Sobre o SPIRITUS MUNDI

Quem somos

Hóspede ou anfitrião? Qual é o seu papel?

Vox Populi

Faça um comentário

Seu e-mail não será divulgado.


*