Perfeito cenário medieval de Cesky Krumlov

Os poucos 22 km2 de Cesky Krumlov são compensados pelo charme da cidade. Patrimônio Histórico da Humanidade, possui trezentas construções tombadas, abriga o segundo maior castelo da República Tcheca – atrás apenas do Castelo de Praga – e preserva o mais antigo teatro barroco do mundo.

Há turistas por todos os cantos, Krumlov, porém, é tão simpática que nem liguei para isso. As atrações giram em torno do Castelo, mas não se restringem a ele. Basta andar pelas ruas para mergulhar num fiel cenário medieval.

O Castelo de Cesky Krumlov pode ser visto de várias partes da cidade.

Como chegar

As rodovias da República Tcheca são bem preservadas. Os ônibus contam com serviço de bordo e as passagens são baratas, então vale a pena utilizar esse meio de transporte. É possível ir direto de Praga a Cesky Krumlov. Eu, como depois de Praga fiz uma parada em Ceske Budejovice, peguei um ônibus intermunicipal (em torno de 40,00 CZK, mais ou menos R$ 6,00) e rapidamente cheguei ao meu destino.

Onde se hospedar

Opções não faltam. Hospedei-me no Travel Hostel, uma construção do século XIII no centro da cidade. Ali, você encontra quartos privativos ou, como no meu caso, quartos com dez camas. Como na maioria dos hostels (pelo menos nos que eu me hospedei), o banheiro é limpo até o início da tarde. Depois, quando a galera começa a retornar dos passeios, a história muda um pouco… Mas foi uma boa experiência. Nesse local há uma pequeníssima varanda com vista ao Castelo de Krumlov e a cozinha limpa (foto) tem espaço suficiente para fazer as refeições sossegadamente.

Praça Central

Ao redor da Praça Central de Cesky Krumlov (Svornosti Square), restaurantes estabelecidos em construções medievais disputam os muitos turistas que passam pelo local. As refeições não são superbaratas (que era o que eu procurava), mas quem estiver disposto a pagar poderá comer apreciando a fonte de pedra em cujo centro se encontra a Coluna da Praga, erguida com a Virgem Maria, no alto, e seis santos, logo abaixo – São Venceslau, São Vito, São João Evangelista, São Judas Tadeu, São Francisco Xavier, São Sebastião, São Caetano e São Roque, patronos e protetores da cidade contra a peste negra que ameaçou o local.

Breve parênteses: cheguei à cidade na hora do almoço e com uma fome enorme. Depois de olhar um pouco, escolhi um restaurante chinês na Praça Central com um bom custo-benefício. O prédio era encantador, com algumas pinturas que pareciam restauradas do original. No entanto, depois de já ter pagado a conta, me dei conta de que o preço do almoço saiu mais caro que o que estava no cardápio. Será que, com minha cara de turista, fui enganada?

Praça Central com a Coluna da Praga no centro.

Castelo de Cesky Krumlov

Segundo maior complexo da República Tcheca, o Castelo de Cesky Krumlov (Státní hrad a zámek Český Krumlov) levou cinco séculos para ser construído da forma como o conhecemos hoje, do século III ao XVIII. Foi erguido sobre uma enorme rocha que margeia o rio Vltava, que corta todo o país.

Possui quarenta edifícios e palácios, tem um belo teatro barroco e um jardim de sete hectares. A entrada para o complexo é gratuita, mas se quiser entrar em alguns locais, por exemplo a Torre do Castelo, terá de pagar.

Atrações

Arcadas do Castelo: Sua estrutura impressiona cada vez que nos aproximamos dela. À noite, ganha um ar todo especial por conta da iluminação.

As impressionantes arcadas do Castelo.

Jardim do Castelo: saindo do Castelo e subindo uma ladeira você chegará ao jardim, que tem acesso livre. Montado no século XVIII, os mais de dez hectares são de encher os olhos com suas plantas bem cuidadas, o colorido das flores e um lago que reflete a luz do sol maravilhosamente.

Torre do Castelo: com seus 54 metros de altura – e não esqueça que o Castelo ainda fica em cima de uma rocha –, a torre do Castelo é garantia certa para uma vista ainda mais espetacular de Cesky Krumlov. Foi construída entre os séculos XIII e XVI e possui quatro sinos. O maior pesa em torno de 1,4 tonelada. É preciso pagar para subir.

A Torre do Castelo destaca-se na paisagem da cidade.
Museu do Castelo.

Museu do Castelo: a ala do museu possui 29 salas mobiliadas com móveis que fizeram parte da história do Castelo. Há uma ala de armamentos históricos e um cinema em que o visitante poderá conhecer um pouco mais a história do local. Entrada paga.

Teatro do Castelo: o mais bem preservado teatro barroco do mundo, foi construído no século XVI. Pode-se fazer uma visita guiada.

 

A cidade

A visita à cidade já compensa ao andar por suas ruas, sentar-se à beira do rio Vltava e ver as pessoas que se aventuram a “navegá-lo”, olhar fachadas medievais bem preservadas, envolver-se com a atmosfera misteriosa (ou diria assustadora?) de caminhar à noite, andar por vielas e entrar em casas antigas, porém, bem preservadas.

A cidade é repleta de lojinhas de presentes e, claro, de comidas. Desde que cheguei à cidade, vi uma massa que mais parecia pizza. Fiquei intrigada, com fome e foi difícil resistir ao langos, que está por todos os lados. E como viajar é também se embrenhar na gastronomia, deliciei-me com essa massa frita com molho de alho e cobertura de queijo… Originalmente é uma receita húngara, mas facilmente encontrada pela República Tcheca.

Capela de Nossa Senhora das Dores e o Morro da Cruz

Caminhando além da “cidade antiga” – nomenclatura dada por mim –, você verá construções modernas e, provavelmente, onde os moradores da cidade vivem. O objetivo de sair do burburinho turístico era conhecer a Capela de Nossa Senhora das Dores, no alto do Morro da Cruz. Com uma caminhada de trinta minutos chega-se ao topo.

Pelo caminho, altares indicam o trajeto até a capela. Originalmente, eram doze construções que simbolizavam as doze paradas de Cristo até o Crucifixo. Atualmente não há mais todos esses sinais.

Sair da cidade e subir o morro tem uma recompensa: panorama de Cesky Krumlov e todos os encantos. A Capela abre apenas uma vez por ano, em 14 de setembro, dia em que é realizada uma peregrinação até o topo.

Cesky Krumlov é pequena, repleta de turista, porém, encantadora, charmosa e envolvente. Apaixonei-me por ela. Seu ar misterioso com certeza adicionou um tempero essencial para essa atração e, como a relação durou apenas três, talvez tenha sido o tal “amor de verão” que me atacou.

Muitos viajantes saem de Cesky Krumlov em direção a Viena (há transfers saindo todos os dias e facilmente de serem contratados). Eu voltei de ônibus para Praga, onde fiz uma rápida parada antes de pegar outro ônibus rumo a Budapeste. Budapeste… Ah, isso já é outro capítulo.

As Arcadas com a iluminação noturna.

Textos relacionados

Rumo à Boêmia do Sul: Ceske Budejovice

Desvendando a misteriosa Praga

Praga: Cidade Velha, encantamento atual

Kafka e a viagem da metamorfose

Vox Populi

Faça um comentário

Seu e-mail não será divulgado.


*