Sobre

O Spiritus Mundi é muito mais antigo e amplo do que estas páginas podem apresentar, é muito mais denso e profundo do que as palavras podem traduzir. E, dessa forma, não temos a pretensão de dizer que ele foi criado pelas idealizadoras deste site.

SPIRITUS MUNDI é a semente, o início e a essência da humanidade. É por meio dele que a história de todas as pessoas se encontram, que todas as religiões andam lado a lado e todos os olhares se abraçam.

SPIRITUS MUNDI é a memória do mundo, é o que faz as raízes se aprofundarem na terra, criar vínculo e ajudar o crescimento dos povos com uma estrutura firme e forte. É ele que alimenta ramificações, folhas, frutos e flores, nutre os indivíduos com a essência que os fazem humanos.

Nesta época, em que pessoas dominadas pela intolerância, vendadas pela ganância e famintas pelo poder recorrem à violência a fim de sobrepujar indivíduos e povos, é que este site foi criado, a fim de resgatar nossas raízes e relembrar o que nos faz ser igual ao outro, mesmo sendo e pensando diferente.

Acreditamos que o SPIRITUS MUNDI une todos os povos e pessoas de uma forma muito mais simples do que, à primeira vista, pode parecer. É só parar um pouco e notar que todos estamos ligados pelo ar que respiramos, o chão que pisamos, o mar em que nadamos, o céu que nos protege, as estrelas que nos guiam e as sensações que nos tornam humanos. Sensações que, mesmo particulares, pertencem a todo mundo: os sabores que explodem em nossa boca ao nos alimentar, as cores que brilham ao olharmos para as paisagens, o calor ao abraçar uma pessoa, os sons de uma música que toma conta do corpo e nos faz querer dançar, e o amor que sentimos ao sermos acolhidos e reconhecidos quando encontramos um olhar e um sorriso que cruzam nossos caminhos.

O SPIRITUS MUNDI é o olho que olha para fora, para quem está ao seu lado, para nosso interior.

O SPIRITUS MUNDI é aquilo que nos liga ao planeta, às pessoas e a nós mesmos. E é nessas viagens que convidamos vocês a nos acompanhar.

 

De onde vem?

Árvore da Vida. Spiritus Mundi.Logo depois da Primeira Guerra Mundial, William Butler Yeats (1865-1939) escreveu o poema “The Second Coming”, que pode ser traduzido como “O Segundo Advento” . Nele, o poeta Yeats fala de um mundo caótico que não pode mais encontrar o seu centro, beirando quase ao apocalipse. Nada muito diferente do que vemos hoje, época em que a sociedade parece estar fragmentada e ser movida pelo ódio, até mesmo em comentários de redes sociais.
Mas Yeats também menciona no mesmo poema o Spiritus Mundi, o espírito do mundo, que ele acreditava ser a memória universal da humanidade, a fonte de todas as imagens e símbolos, o inconsciente coletivo de que tanto falava Jung. E é justamente esse espírito, que é essencialmente o mesmo em qualquer lugar do mundo e que não varia de pessoa para pessoa, “como o ar, que é o mesmo em todo lugar, é respirado por todo mundo e não pertence a ninguém”,* seja ele qual for, que tentamos resgatar aqui.

 

Logomarca

Formada por três símbolos, a logomarca SPIRITUS MUNDI foi pensada para dialogar com nossas visões, crenças e objetivos.

Spiritus MundiCírculo – representa o mundo em que vivemos e, também, a união de todos os povos.

Árvore da vida – símbolo sagrado relacionado à criação, fecundidade e imortalidade. Representa o ciclo da vida e a ligação entre céu, terra e submundo.
De uma pequena semente, a árvore começa a crescer, a se ligar ao solo, que a acolhe e de onde consegue seus nutrientes a fim de se desenvolver, ramificar, folhear, florir e dar frutos. No SPIRITUS MUNDI, cada pessoa é uma árvore, um galho, uma folha, uma flor e um fruto. O indivíduo é a árvore que nasce, cresce, cria vínculos com os outros e com seu meio ambiente. É o galho que faz parte de um tronco muito mais sólido, que pode ser sua família, sua nação, seu mundo ou a espécie humana. É a folha que faz a fotossíntese, respira e obtém a energia da árvore. É a flor e o fruto, responsáveis pela reprodução e formação das sementes, e que também são alimentos para outros seres se fortalecerem, por meio da sociabilidade e do respeito, uma maneira de interagirem entre si.

Terceiro olho – há diversas interpretações sobre este símbolo. Na logomarca do SPIRITUS MUNDI, ele foi inserido no ponto mais alto do círculo para que sempre nos lembremos de olhar para o mundo como algo único e puro, em que é possível um lugar harmônico em que Oriente-Ocidente, Sul-Norte, alma-corpo, culturas, povos e opiniões diversas se encontrem, se respeitem e, assim, fortaleçam ainda mais o indivíduo.

 

 Carl G. Jung, Obras completas.